Uma câmera na mão e um breve conhecimento na cabeça. Ou quase isso...

Parafraseando Glauber Rocha:"Uma câmera na mão e um breve conhecimento na cabeça". Ou quase isso.../Desde Fevereiro de 2015.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

BERILO, CHAPADA DO NORTE E MINAS NOVAS NO VALE DO JEQUITINHONHA EM MINAS GERAIS RECEBEM O FAMTUR-VISITA DE FAMILIARIZAÇÃO TURÍSTICA (NA ROTA DOS QUILOMBOS)

A Redetur (Rede de Apoio Integrado ao Turismo) vem desde o ano de 2011 desenvolvendo através do Projeto Agentes Quilombolas Socioambientais: “o turismo como geração de renda no Médio Jequitinhonha” realizado pelo CEDEFES (Centro de Documentação Eloy Ferreira da Silva) e com apoio da OI Futuro uma série de atividades envolvendo gestores públicos, comerciantes, agentes culturais, sociedade civil, grupo de jovens, entre outros atores, nos municípios de Chapada do Norte, Minas Novas e Berilo no Vale do Jequitinhonha no Estado de Minas Gerais. Em Chapada do Norte a Redetur já realizou o 1º Seminário sobre Políticas Públicas para Comunidades Quilombolas e Turismo de Base Comunitária como Alternativa de Desenvolvimento Local em uma reunião extraordinária realizada na Câmara Municipal, um Seminário de Associativismo na Escola Municipal Nívea de Oliveira, Reuniões com agentes municipais ligados a atividades relacionadas ao turismo, a 1ª Capacitação de Monitores e de Turismo Local, entre muitas outras ações que interligadas vão somando passo a passo. Os trabalhos da rede são orientados pela historiadora Agda Marina e a turismóloga Luciana Priscila e tem como principal objetivo desenvolver mecanismos que atraiam turistas para a região destes municípios, que estejam interessados na cultura, comidas típicas, bens materiais e imateriais, belezas naturais, patrimônio edificado, casarões, festas tradicionais, histórias, causos, artesanato e outros encantos destes três municípios. E no mês de Outubro mais uma atividade foi realizada: o Famtur- Visita de Familiarização Turística. O Famtur-Na Rota dos Quilombos tem como objetivo apresentar a cultura, a culinária, à religiosidade, patrimônio edificado, causos, belezas naturais, a receptividade de um povo simples e batalhador, além de outros atrativos dos municípios de Chapada do Norte, Berilo e Minas Novas no Vale do Jequitinhonha. Posteriormente cada técnico da equipe  publicou no seu segmento jornalístico suas observações sobre a visita nos municípios citados. Indicando a rota para possíveis grupos de turistas.
No dia 27 de Outubro de 2015 uma equipe composta por jornalistas e fotógrafos dos jornais O Estado de Minas, O Globo (RJ) e Folha de São Paulo, Fotógrafos e Blogueiros de Turismo (Dentro do Mochião), Representantes de Órgãos Públicos (IDENE, IPHAN e Secretaria Municipal de Turismo), Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri-UFVJM, Federação das Comunidades Quilombolas de Minas Gerais N’Golo, Associação dos Municípios do Médio Jequitinhonha-AMEJE e Fundação Banco do Brasil.   
    A visita conta com a participação das doze comunidades quilombolas que participam da Redetur, da equipe técnica da ONG Cedefes e apoio do Instituto OI Futuro.
A primeira parada da equipe do FAMTUR foi ao município de Berilo: na comunidade quilombola de Roça Grande onde ouviram historiais sobre a plantação de côco local, houve o almoço com itens de uma horta orgânica e frango caipira com quiabo e angu feitos no fogão a lenha. Ainda na comunidade aconteceu uma apresentação cultural sobre a tradição do tear e seu artesanato único.  O segundo momento do Famtur em Berilo foi na comunidade quilombola do Catitu do Meio com a realização do Terço cantado pelo Grupo de Batuque Cultura Viva Berilo puxado pelo agente cultural berilense Alessandro Borges. As atividades encerram-se com um jantar típico quilombola, coletivo e iluminado pela lua cheia. Os contadores de causos relataram sobre o Jequitinhonha e suas riquezas.
Na Quarta Feira dia 28 de Outubro as atividades iniciaram-se na Comunidade Quilombola de Córrego do Rocha em Chapada do Norte MG. O grupo foi recebido na Igreja de Nossa Senhora Aparecida com muita alegria e cantoria. O processo da fiação do algodão, das quitandas quilombolas e versos e cantigas fizeram parte das ações realizadas no Córrego do Rocha. O encerramento foi com almoço e uma boa prosa entre os participantes.
Após a visita á comunidade do Córrego do Rocha a equipe do Famtur dirigiu-se para a cidade de Chapada do Norte MG. E fizeram um tour pelas ruas chapadenses apreciando a área do entorno protegida pelas ações do Conselho Deliberativo Municipal do Patrimônio Cultural. No salão do Sindicato dos Trabalhadores Rurais assistiram a apresentação cultural do grupo Curiango da comunidade quilombola da Moça Santa e saborearam as deliciosas Quitandas de Mel da comunidade de Faceira.
A penúltima visitação do grupo na Quarta Feira em Chapada do Norte foi à Igreja de Nossa Senhora do Rosário onde foram recebidos por Maurício Costa e Olímpio Soares, presidente e vice da Irmandade respectivamente. Os dois irmãos do Rosário fizeram um breve relato sobre a Festa de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de Chapada do Norte, “Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Estado de Minas Gerais”, sobre a conservação da Igreja do Rosário e seu entorno e sobre ações da Irmandade do Rosário.
Na seqüência os Tamborzeiros do Rosário (João Feio, Louro de Lita, Murilo de Geralda, Lado de Elpídio, Tereza de Dito, Daelson (Gola), Zé do Barro, Célio de Margarida, Jair de Izaías, Vanildo (Zói), Zé de Nilza, João Pedro e colaboração de Anderson de Henrique) fizeram uma apresentação memorável aos presentes na igreja.
Ao final da apresentação dos Tamborzeiros do Rosário na Igreja, Maurício Costa presenteou cada membro da equipe do Famtur com exemplares do Caderno do Patrimônio Imaterial Festa de Nossa Senhora do Rosário de Chapada do Norte MG, distribuídos pelo IEPHA-MG.
Na seqüência a equipe técnica do Famtur dirigiu-se para a comunidade quilombola do Gravatá/Quebra Bateia onde foi recebida na Igreja de Nossa Senhora Santana com cantorias e instrumentos musicais rústicos. Moradores locais apresentaram o processo artesanal de móveis em madeira e couro feitos pela Associação de Artesãos.
A próxima parada do grupo foi á cidade de Minas Novas e suas comunidades quilombolas Macuco, Pinheiro e Mata Dois. Um dos atrativos apresentados foi o Memorial organizado no Centro Comunitário e o Artesanato em peças de barbante. Ainda teve dança e música regional com forró de sanfona e jantar em um dos Receptivos Familiares.
Ao final da atividade a equipe foi para um merecido repouso no Hotel JK Palace.  
A próxima parada no município de Minas Novas foi no povoado quilombola do Alagadiço onde a equipe técnica assistiu uma apresentação da Dança de Vilão Santinho com as crianças, passeio na roça e uma deliciosa feijoada e doce de fava como sobremesa. Na seqüência houve apresentação do grupo de Marujada, exposição e feira de quitanda, temperos e produtos orgânicos produzidos na comunidade.
O evento teve a presença e apoio das prefeituras municipais de Chapada do Norte, Minas Novas e Berilo, Irmandade de Nossa Senhora do Rosário, artistas, artesãos, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Vereadores e outros agentes culturais locais.
E ao encerramento do Famtur na Rota dos Quilombos ficou a sensação entre a equipe da Redetur e das pessoas que participaram ou acompanharam via rede social que o evento trará em breve bons frutos aos municípios de Berilo, Chapada do Norte e Minas Novas.
E o próximo evento realizado aconteceu no dia 14 de Novembro sendo realizado em Chapada do Norte: o “1º Encontro das Comunidades Quilombolas do Médio Jequitinhonha” no salão do Casi.
Fonte: Página no Facebook Agentes Quilombolas Socioambientais: Turismo no Médio Jequitinhonha, Luciana Priscila, Agda Marina e Maurício Costa.

Fotos: Agentes Quilombolas Socioambientais: Turismo no Médio Jequitinhonha, Luciana Priscila, Agda Marina, Lucas Aguilar e Maurício Costa.