Uma câmera na mão e um breve conhecimento na cabeça. Ou quase isso...

Parafraseando Glauber Rocha:"Uma câmera na mão e um breve conhecimento na cabeça". Ou quase isso.../Desde Fevereiro de 2015.

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

RIO CAPIVARÍ QUE ABASTECE CHAPADA DO NORTE MG ESTÁ SECO E A CIDADE SOFRE COM A FALTA DE ÁGUA

A crise hídrica que assola algumas regiões do Estado de Minas Gerais chegou a seu estágio mais crítico em Chapada do Norte MG em 2015. O Rio Capivarí que abastece a cidade no Vale do Jequitinhonha está completamente seco e a cidade padece com a falta de água nos lares chapadenses.
O rodízio no abastecimento de água está cada vez mais constante e há bairros que ficam semanas sem receber água em suas torneiras. Ruas sem água por 15, 20, 25 dias. Causando um verdadeiro caos na vida destas famílias e alterando totalmente a rotina destas pessoas.

As pessoas com poder financeiro para adquirir caixas d’água de 20 á 60 mil litros estão á fazê-lo visando atender suas necessidades comerciais: pousadas, padarias, mercearias e também necessidades pessoais. Outros que são proprietários de veículos com carrocerias têm viajado quilômetros buscando água em seus reservatórios para atividades básicas do dia a dia. Até motoqueiros tem usado seus veículos para carregar vasilhames com água. Cada um se virando como pode. No bairro conhecido popularmente como Bica onde uma água cristalina jorra por uma nascente há durante todo dia uma enorme aglomeração de pessoas que passam o dia todo aguardando em fila sua vez de levar para casa um balde ou outro recipiente com água para atender suas necessidades diárias. Há outros pontos na cidade como no jardim próximo á Igreja de Nossa Senhora do Rosário onde uma torneira é usada para amenizar o sofrimento dos moradores do entorno da igreja e até de pessoas que residem em pontos mais distantes: pessoas com baldes, bacias e outros utensílios para reservar água, aguardam pacientemente sua vez para levar para casa um pouco deste bem tão precioso. 
Virou rotina ouvir o barulho de bomba puxando água para residências da cidade. E as famílias ficam na expectativa, atentas á qual momento chegará água na torneira. Muitas vezes ela chega durante a madrugada e aí não há como deixar a oportunidade passar: é levantar e ir encher os vasilhames.
Como se não bastasse o grande sofrimento causado pela ausência de água em Chapada do Norte, a cidade ainda sofre com o forte calor durante todo o dia e até durante a noite que tem apresentado-se muito quente estendendo-se até a madrugada. E para completar as estradas da BR 367 que dão acesso á cidade seja pra quem chega de Minas Novas ou de Berilo, estão esburacadas e cobertas por um mar de poeira.
Há uma grande preocupação na população chapadense sobre o futuro dos moradores da cidade. Como serão suas vidas se o rio que abastece a cidade está seco e a chuva é cada vez mais escassa na região?
Que providências serão tomadas pensando na solução de tão grande problema?
Ainda não há respostas para tais questões. Mas há a certeza que tal problema a cada dia que passa vai tomando proporções muitos grandes. E conforme o tempo vai passando, mas difícil fica para resolvê-lo.














































Fotos: Maurício Costa